ArtigosNutrologia

5 Mitos Sobre a Carne Vermelha Esclarecidos

Mitos sobre alimentos que fazem bem ou mal para a saúde estão por toda a parte. Você já deve ter ouvido vários desses mitos e, talvez até acredite em alguns deles. Hoje, vamos falar sobre 5 mitos sobre a carne vermelha e provar que seu consumo é seguro e nutritivo.

Vale lembrar que o vegetarianismo e veganismo são escolhas pessoais e este artigo não tem nenhuma intenção de convecer ninguém a mudar sua dieta – apenas informar!

1) Carne vermelha causa problemas cardíacos, câncer e diabates

A carne vermelha é muitas vezes apontada como uma das causas de doenças como o câncer, o diabetes e problemas cardíacos, mas a realidade não é bem assim.

De acordo com uma pesquisa realizada no Estados Unidos em 2010, não existe nenhuma correlação entre o consumo de carne vermelha não-processada e o risco de doenças cardíacas e diabetes. A incidência destas doenças só foi encontrada naqueles indivíduos que consumiram carnes processadas.

O mesmo pode ser dito sobre o risco de câncer: carnes processadas podem, sim, causar o câncer, mas não há evidências de que a carne vermelha não-processada apresente o mesmo risco, conforme estudos norte-americanos (1, 2).

Entretanto, o que pode afetar a saúde é a forma como essa carne é preparada.

A dica aqui é simples: Sempre prefira carne que não esteja queimada por fora, pois aquela carne que passa do ponto e fica “torradinha” pode desenvolver compostos cancerígenos.

Por isso, sempre tome cuidado para não cozinhar demais os alimentos – aquecê-los demais pode fazer mal!

2) Carne vermelha engorda

Enquanto é verdade que alguns cortes de carne são cheios de gordura, a carne em si é na verdade rica em proteínas e pode, inclusive, ajudar na perda de peso.

Uma dieta rica em proteína aumenta a sensação de saciedade e melhora o seu metabolismo. No caso de dietas Low Carb e Paleo, consumir bastante proteína é fundamental, pois seu consumo é um dos principais motivos  que fazem com que as pessoas reduzam mais o peso do que em outras dietas, que não privilegiam o consume de carne.

Outro ponto que merece destaque é que consumir proteína também promove o aumento da massa muscular.

A dica aqui é que de optar por carne de qualidade com gordura moderada, mas sem esquecer que ela também é um componente essencial da boa alimentaçāo.

3) A carne vermelha apodrece no intestino

Esse é um mito bastante conhecido e algo em que muitas pessoas acreditam – mas não é verdade!

Quando comemos carne, os ácidos e enzimas presentes no estômago “quebram” a carne em pedaços menores para facilitar a digestão. As proteínas são então reduzidas a aminoácidos e as gorduras em ácidos grazos no intestino delgado, que são absorvidas pela parede intestinal. E no final deste processo, não sobra nada para “apodrecer” dentro do seu corpo.

Dito isso, alimentos de origem animal não “apodrecem” no corpo; já as fibras de origem vegetal, encontradas em frutas, legumes, grãos e vegetais, são insolúveis já que o corpo não possui as enzimas e ácidos necessários para dissolvê-los. Mas não há motivos para preocupação: isso é uma coisa boa!

Essas fibras vegetais chegam ao colo intestinal ainda inteiras, e lá elas passam por um processo de fermentação realizada por bactérias “do bem” que existem no corpo humano. Isso ajuda a manter a flora intestinal bem nutrida o que é fundamental para a saúde.

4) Carne vermelha causa osteoporose

Essa é uma teoria decorrente da lógica de que uma dieta rica em proteína forçaria o corpo a mandar uma parcela do cálcio dos ossos para a corrente sanguínea.

Existem estudos que demonstram que, a curto prazo, isso realmente acontece: é observada uma perda de cálcio no corpo quando a ingestão de proteína aumenta. Porém, no longo prazo, foi demonstrado que a proteína ajuda a proteger os ossos, ou seja, não é motivo para se preocupar.

O consumo de proteína é, na verdade, diretamente relacionado à melhora da densidade dos ossos e diminui o risco de fraturas, principalmente entre os idosos.

5) O colesterol e gordura saturada da carne vermelha fazem mal

Enquanto é verdade que a carne vermelha tem alto teor de colesterol e gordura saturada, isso não é motivo para evitar comer carne.

Estudos recentes demonstram que tanto a gordura saturada quando o colesterol não fazem mal à saúde. O colesterol em particular é uma molécula importantíssima para a saúde. O colesterol é produzido pelo fígado humano em grandes quantidades para suprir a necessidade dessa molécula no corpo. Quando consumimos alimentos com colesterol, o fígado se ajusta à quantidade ingerida e diminui sua produção para manter o índice de colesterol do corpo balanceado.

Além disso existem estudos que demonstram que o consumo de colesterol e gordura saturada não está diretamente associado ao risco de problemas cardíacos (1, 2).

Já no caso da gordura saturada, há estudos que indicam que ela ajuda a diminuir o risco de derrame, o que é significativo.

Portanto, não há razão alguma para ter medo de comer carne. Incluir carne vermelha na sua dieta pode trazer imensos benefícios a sua saúde, desde que você prefira carnes não-processadas, e as prepare de forma adequada.

Carne vermelha é sim, sinônimo de saúde!

Tags : carne vermelhacarnes processadasdieta de baixo carboidratolow carbmitos
Dr. João Eschiletti

The author Dr. João Eschiletti

Dr. João Carlos Correa Eschiletti (CREMERS 11095 – RQE 11861) é formado pela UFRGS em 1980. É médico nutrólogo pela Associação Brasileira de Nutrologia ABRAN, CFN, MEC. Membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, é mestre em Medicina pela Universidade de Porto – Portugal.

Leave a Response